quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Caminheiro
Ele caminhava por uma terra árida... Um deserto sem nenhum oásis.... Caminhou por muitos anos e aprendeu a caminhar só... Sabia desde o principio que um dia acharia a terra “prometida”, apesar de estar perdido... Cada queda fortaleceu para levantar-se mais forte...
A sede física fazia com que a alma adquirisse mais gana pela vida e pela mudança. Quem sabe um maná?!
Como os Beduínos, aprendeu a enfrentar as tempestades, as lutas, as dificuldades. Ao longo desta grande caminhada moldou seu ser como ferro nas mãos de seu forjador.
Ele continuou o relato de sua saga ... Depois de muito caminhar e conhecer a solidão, percebeu que sentia-se mais forte mesmo estando só.
Aprendeu a falar com os elementos, assim como o pequeno jovem alquimista.
Aprendeu a entender seus sentidos, aprendeu a amar o ser que se transformou.
E foi bem neste momento, quando deu-se conta de sua grandeza e sua pequenez, o deserto fez-se lindo jardim, lindo campo.
Ali, pôde saciar sua sede com pura água, ali pôde recostar-se em frondosa árvore que lhe trouxe segurança, tranquilidade, trouxe a paz.
Mal sabe este caminheiro que o oásis estava dentro dele, mal sabe ele que toda a beleza que agora vê, saiu de dentro da sua alma, bastava somente atravessar o deserto de lutas , dificuldades, fraquezas para chegar ao lugar da bonança.

Este texto é para você, caminheiro...

5 comentários:

Vini e Carol disse...

É nas hortas difíceis que tiramos força de dentro de nós para vencer os obstáculos.
Muito bom o texto, mas qual o motivo da pergunta antes de entrar no blog, sobre se está ciente que deve entrar? Aqui não tem nada pornográfico.
Abraço.

Felipe disse...

Extremamente encantador o seu texto. É assim que devemos seguir na vida, caminhado, lutando até chegar aos nossos objetivos. Excelente estória com uma moral fascinante.

Ultraviolet disse...

Adorei seu blog! irei seguí-lo!
Li todas as postagens dessa página,
e me identifiquei muito com elas...
Algumas parecem ser de
cunho espiritual, outras próximas
a realidade vivida, mas todas muito pertinentes e completas!

SO.L. disse...

E vai seguindo, como se o destino fosse certo, não sendo;
Como se houvesse algo, que talvez não haja.

Só vai seguindo, porque prefere mover a inércia de ficar acorrentado naquele passado forrado de mágoas.

Naya Rangel disse...

É ... tudo depende de nós! A força para vencer, para chegar onde merecemos, depende de cada um! Aorei o texto!

Abraços!