domingo, 3 de abril de 2011

Divagação

O que é esse nó na garganta?
E esse sorriso que se desfaz?
Por que o pranto te corta a face?
E qual a razão do coração machucado?
Nesses dias acreditamos estar todos feridos.
Quando a lágrima corre pelo rosto, ela tira dele a marca da dor. Como maquilagem que corre na água.
A poeira dos dias nos faz sentir tristes;
As nuvens que se formam na mente não cedem.
Será teu ou será meu este canto triste?
Onde terminou o teu e passou para o meu?
Talvez seja mera ilusão, questão de falta de visão.
Não é a dor que mascara o sorriso, é ele que modifica os olhos cansados.
Eles sempre nos rodeiam, nós é que não o vemos.
Fazemos parte da trama, mas ela não pode nos fazer drama.
A luz e o sorriso custam mais, mas são eles os que mais nos aprazem.