quarta-feira, 5 de julho de 2017

Quais são suas origens? Espanhola? Portuguesa? Holandesa?
Outro dia lendo um artigo em uma revista, um professor comentava sobre este tipo de pergunta entre as crianças e as respostas imediatas... Os ascendentes europeus.
Essa leitura fazia parte de uma pesquisa para a construção de um artigo.
Todos tem um pé em Portugal, nos Estados Unidos, nas terras nórdicas, mas se esquecem de suas raízes, aquilo que legitimam sua condição de brasileiro.
Com a ajuda de Darcy Ribeiro e outros autores, posso dizer agora que se você não tem um ancestral indígena ou negro (escravo), brasileiro você não é.
O autor fala de "ninguendade", pois nosso país era povoado por índios, depois foi invadido por bárbaros europeus que trouxeram em seus navios os negros amarrados como animais selvagens. 
Aqui se deu a mais diversa mistura... Holandês com indígena, Português com escravas e todo tipo de miscigenação. Agora, diante disso, pergunto: A criança fruto desse coito é européia? Não. É indígena? Não... É mestiço.
E para onde vão os mestiços? Para a antiga terra? Jamais...
Como gente inferior pode habitar com eles, os "civilizados"?.
Ficaram nesta terra que acolheu  todos todos aqueles que faziam parte da "ninguendade" e que hoje é o povo brasileiro. Povo bonito, preto, branco, mulato, cabelo enrolado, liso, amarelo, ruivo. 
Não somos ricos, não somos donos de castelos, menos ainda de culturas milenares. 
Somos futuro, crença, música, somos evangélicos, católicos, umbandistas, do candomblé e tantas outras religiões que coexistem dentro de um mesmo território.