terça-feira, 11 de outubro de 2011

 É madrugada ainda, e para mim, enquanto não durmo, o outro dia ainda não chegou. Logo, ainda é dia 11.
Passei o dia todo tentando escrever um artigo  para um trabalho da faculdade, quero participar da jornada científica. Parece que a mente não queria funcionar direito...
Há oito anos acontecia a maior tragédia da minha vida. Será que ainda hoje sofro reflexos dela?
Há dois anos chego o Campus e agradeço a Deus por estar lá. Logo em seguida, me vem um pensamento também de gratidão, algo como um agradecimento aos meus pais por confiarem em mim e sempre ofertarem amor. Hoje esse pensamento foi mais forte. 
Completa nesta data, oito anos da morte do meu pai. A dor mais devastadora que já senti. O dia mais triste que já vivi.
Atualmente, depois de muitas visitas, leituras, palestras e força de viver, a dor se tornou mais suportável e não venho aqui reclamar ou chorar. Venho para dizer obrigado.
Obrigado aos dois que cuidaram de mim por tanto tempo, obrigado ao Deus que nos protege, obrigado à vida que nos proporciona experiências ricas de conhecimentos, sentimentos, alegrias. É uma escola. Nem tudo é fácil como pensávamos na infância; nem sempre somos fortes (nem precisamos ser).
Não escrevo sempre aqui neste blog, mas ele está sempre na minha mente como um diário, um amigo a quem posso contar tudo, sem me preocupar com erros de acentuação, pontuação ou concordância.
Nesta curta jornada adquirimos muitos amigos; as vezes os chamamos de pais, irmãos, tios...
Mesmo que não esteja mais aqui fisicamente, eu te sinto meu pai. Te amo como sempre e peço sempre para que um dia possa te reencontrar - forte e bem como antes da tempestade-, sei que Deus o permitirá depois que cumprir minha missão aqui.
Por enquanto, nos comunicamos pelos sentidos e sonhos...
E a vida continua. 

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Comentário

Fui chamado para uma entrevista de estágio em uma empresa de soluções em comunicação e Web.  . 
Chego ao local. Identifico onde é a "agência" pelo número pois não há uma identificação visual, nem um tecido pintado com o nome do empreendimento.
Subi uma escadaria e fiquei esperando na porta, e lá fiquei. Nenhuma consideração, nenhum respeito ao ser humano que estava lá esperando.
Da porta, o "patrão" me dispensou argumentando que precisava de alguém que tenha experiência em web. Educação: zero; ética:zero.
A  falta de experiência faz de mim uma pessoa indigna de respeito?
É preciso lembrar que estagiários vão às empresas  praticar o que aprenderam nas salas de aula, eles não têm a obrigação de oferecer aos empregadores serviços de um profissional. É uma incoerência cobrar de um estudante conhecimentos de um alguém que já está no mercado há anos.
Nós, os aprendizes, precisamos de oportunidades de aprimoramento e devemos ofertar o melhor às pessoas que acreditam em nossa capacidade. Entretanto, para ambos os lados deve prevalecer a velha e boa regra de ouro:  "Não faça aos outros, aquilo que você não quer que eles façam a você".

Nivaldo Vital

domingo, 3 de abril de 2011

Divagação

O que é esse nó na garganta?
E esse sorriso que se desfaz?
Por que o pranto te corta a face?
E qual a razão do coração machucado?
Nesses dias acreditamos estar todos feridos.
Quando a lágrima corre pelo rosto, ela tira dele a marca da dor. Como maquilagem que corre na água.
A poeira dos dias nos faz sentir tristes;
As nuvens que se formam na mente não cedem.
Será teu ou será meu este canto triste?
Onde terminou o teu e passou para o meu?
Talvez seja mera ilusão, questão de falta de visão.
Não é a dor que mascara o sorriso, é ele que modifica os olhos cansados.
Eles sempre nos rodeiam, nós é que não o vemos.
Fazemos parte da trama, mas ela não pode nos fazer drama.
A luz e o sorriso custam mais, mas são eles os que mais nos aprazem.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Pedidos sinceros

Vão!
Partam agora minhas pequenas...
O caminho já lhes ensinei...
Entrem pelas janelas, portas, sonhos, ruas, avenidas...
Viajem rápidas como a luz, confortadoras como o colo da mãe, amigas como os anjos...
Ofereça a eles ajuda, cheguem onde ninguém consegue...
Ofertem meu amor sincero e desejo de que o céu os ampare, que Deus os abrace para que não se sintam sozinhos.
Façam o que nós humanos não  podemos fazer...
Acalme os ventos, peça para que a mãe natureza não mais os castigue...
Ensina-nos a respeitá-la também.
Em todos as partes do mundo distribuam paz e entendimento.
Peçam ao Pai que nos perdoe pelas faltas e nos proteja com suas asas de amor.
Partam agora vibrações amigas.. E cumpram sua missão.
No universo ficarão...
Mas primeiro, a Terra transformarão.